Archive

Archive for December, 2006

VHEMT – Morte aos humanos parasitas!

December 29, 2006 5 comments

http://www.vhemt.org/

VHEMT significa: The Voluntary Human Extinction Movement. Ou, em português, Movimento pela Extinção Humana Voluntária. A idéia é essa mesmo: que todos os humanos do planeta por vontade própria deixem de se reproduzir até que não exista mais nem umzinho humanozinho sequer nessas bandas da Via Láctea.

Parece meio absurdo não é? Realmente é. Pelo menos, essa foi a primeira reação que eu tive.

Mas parando pra pensar bem, a idéia até que tem seus pontos interessantes.
Primeiramente, o site do movimento defende que os humanos são ruins para o planeta e que devem ser extintos para o bem geral das outras espécies que o habitam.
O que realmente é verdade. Basta ver quantos animais deixaram de existir graças a nós. Não foram poucos…
Isso me lembra aquele filme Independence Day, em que uma raça parasita de recursos invade a Terra para exterminar os humanos e sugar tudo o que tinha aqui.
A primeira vez que vi esse filme, a 10 anos atrás (uau! quanto tempo!), eu fiquei com medo. Eu pensava: meu Deus! Como pode alguém fazer isso!
Mas, em proporções menores, é exatamente isso que fazemos… Digo, nesse local onde estou agora a digitar este texto, um dia pode ter estado um grande Mamute bebendo água numa poça remanescente de uma chuva de verão. E, segundo pesquisadores, o Mamute foi provavelmente extinto pelo homem, a muitos e muitos anos atrás, quando a população humana na Terra não era nada comparada com hoje.
Isso pra não entrar nos méritos de aquecimento global…. Não sou biólogo, não manjo nada disso mesmo…

Eu até concordo com o site, mas eu diria que os humanos são ruins não só para o planeta, mas também para si mesmos.
Pode parecer batido isso que estou dizendo, mas hoje eu estava pensando nisto e me dei conta do caos em que vivemos.
Aliás, sempre penso isso quando vejo essas notícias do tipo de ‘queimaram cinco ônibus com pessoas dentro’.
Eu sempre penso ‘como? O que passa na cabeça de uma pessoa pra por fogo num ônibus cheio de gente? O que essa pessoa quer/pensa da vida? Ela não sabe que aqueles que estão dentro do ônibus têm um vida, têm pessoas que gostam, têm planos, têm ideais??? Ele joga tudo fora? Assim, fácil??!’
Acreditar que a resposta das últimas perguntas seja ‘sim’ é quase tão inconformante quanto saber que um bando de safados dobra seus salários num páis de tantos pobres como o Brasil.
E não, não adianta falar que isso tudo é só no Brasil. Todos sabemos que não é.

Uma vida humana hoje é banal demais! Foda-se o que se passa na cabeça daquele cara, foda-se seus sentimentos, foda-se as pessoas que gostam dele, ele é só mais um nessa massa que invadiu o planeta repentinamente; podem matá-lo.

No fim das contas, acho que já estamos em processo de extinção. E faz algum tempo já. E, ainda que não seja deixando de se reproduzir, não deixa de ser um processo voluntário. Nada mais justo.

Se pudesse escolher, não diria que é justo, afinal, eu sou um humano e, como tal, não me agrada a idéia de ver minha espécie extinta.
A esperança de que um dia deixe de ser justo ainda existe, mas é minguante como a lua.

Categories: Misc, Portuguese

Pause!

December 22, 2006 2 comments

Pause! Dê um pause na sua vida para ver o seguinte vídeo:

Some stars and planets in scale…

…and find out how nothing we are.

Pronto, agora des-pause, volte pra sua vidinha medíocre, inútil e sem sentido.
Volte rápido, antes que você perceba que estou certo e decida se matar.

Categories: Misc, Portuguese

Água!

December 11, 2006 3 comments

Hoje fiz uma dinâmica de grupo. Numa parte da dinâmica tínhamos que escolher as piores catástrofes dentre uma lista de possíveis tragédias. Todos concordaram que a pior seria “falta absoluta de água por 3 meses”.

Realmente, é meio difícil viver sem água. Palavra de alguém que é de Uberaba e ficou 1 semana sem ela quando um trem carregado com não sei o que tombou no principal rio que abastecia a cidade.

Pois bem, mas eis que a água que dá a vida nem sempre é a heroína da história. Vide a mulher que quis se suicidar e, levando o filho junto, pulou no rio Pinheiro em São Paulo. Um cara, muito gente fina, analista de sistemas, roubou a moto de um curioso e correu em sentido contrário (Trinity em Matrix Reloaded anyone?) até se aproximar da mulher, pulou no rio e salvou o molequinho.
Imagina pular no rio Pinheiros! Mais sujo que o Tietê! A mulher queria muito mais que se suicidar, ela queria… sei lá…
Mais detalhes em http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u129222.shtml

Massss a parte legal é…:
Sabem aquela brincadeira velha da água de Campinas?
Pois é! Não que é virou verdade? Estudos comprovaram alto teor de progesterona (hormônio sexual feminino) na água ‘potável’ da cidade. Duvida?
http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u129198.shtml

Cuidado hein pessoal!!!

Categories: Music, Portuguese

Alvoroço

December 6, 2006 Leave a comment

Dizem que quando a ponta de um espinho
agride alguma célula da pele,
as células do tecido vizinho
aprestam seus núcleos em torno dele.

talvez o mesmo efeito se revele
se em lugar de agressão for um carinho
a arrepiar algum ponto da pele
- um beijo, por exemplo, não espinho.

Carinho ou agressão chama a correr
alvoroçadas reservas do ser
a tais toques de alarma ou de desejo.

Talvez não seja mais que uma impressão
mas – toda vez que vou beijar-lhe a mão,
sinto-a vir por inteiro à mão que beijo…


Geir Campos

Categories: Art, Portuguese

Instalando driver nVidia no Debian Etch

December 2, 2006 4 comments

Eu sofri pra descobrir como fazer isso.
Tinha conseguido já algum tempo mas comecei a ter problemas com o driver original da nVidia, então utilizei o mais novo e deu certo.

Bem, existem diversas formas de se instalar este driver. Alguns deles utilizam pacotes do próprio Debian para o driver da nVidia, mas o que vou citar aqui utiliza o driver da nVidia, puro.

Primeiramente, você vai precisar dos header do seu kernel.
Para saber qual é seu kernel, digite ‘uname -r’ num terminal.
No meu caso, o kernel é 2.6.17-2-k7, então tenho que instalar os headers desse kernel, assim:

# apt-get install linux-headers-2.6.17-2-k7

Ou, utilize aptitude, Synaptic, ou qualquer outra iterface para o apt.

Depois de instalar os header, pegue o driver do próprio site da nVidia. Preste atenção à versão da sua placa, pois placas mais antigas necessitam de drivers diferente (os chamados legacy).
Por exemplo, neste momento a última versão do driver da nVidia é a 9629, ela suporta essas placas de vídeo. Se sua placa não está na lista, provavelmente precisa do driver legacy, o último é o 7184, que suporta essas placas.

Com o driver em mãos e com os headers do kernel instalados, mude para interface de linha comando (pressionando Ctrl + Alt + F1), e faça os seguintes comandos:

pare a interface gráfica que está executando:
# /etc/init.d/gdm stop
ou
# /etc/init.d/kdm stop
se você usar KDE.

Se seu kernel é 2.6.xx, execute:
# modprobe -q agpgart

Agora instale o driver, indicando o caminho para os módulos da interface gráfica do kernel, no meu caso:
# chmod +x <arquivo do driver>
# ./<arquivo do driver> –x-module-path=/usr/lib/xorg/modules

Logicamente, substitua <arquivo do driver> pelo nome do arquivo que você baixou do site da nVidia. Agora carregue o driver:
# modprobe nvidia

Agora edite o arquivo /etc/X11/xorg.conf
Procure por:
Section “Module”
verifique se dentro dessa seção existem essas linhas e, se existirem, apague-as:
Load “dri”
Load “GLCore”
E adicione a seguinte linha, caso ainda não exista:
Load “glx”

Agora procure por:
Section “Device”
Na linha
Driver “<alguma coisa”>
Substitua <alguma coisa> por nvidia.

Reinicie a interface gráfica com:
# /etc/init.d/gdm restart

Se o logo da nVidia aparecer e tudo ocorrer bem, você instalou o driver com sucesso!
Se não funcionou, pergunte!

Está prometido para este mês, mas essas coisas sempre atrasam. O Debian Etch vai ser oficialmente lançado como Stable, clique aqui para uma screenshot da nova versão Stable do Debian.

Por enquanto é só.
Abraços.

Categories: Linux, Portuguese
Follow

Get every new post delivered to your Inbox.